Tente outra vez

Nathalia Blagevitch é um exemplo de como tudo deveria ser, e não de como é. Nasceu com uma paralisia cerebral que a torna triplégica – com pouca força na perna e no braço direitos –  e teve o máximo de oportunidades de tratamento. 

Com o apoio total da família, sempre estudou em escolas regulares e, assim, completou os ensinos básico e médio, fez faculdade de Direito, viajou com colegas, fez intercâmbio, cirurgia  plástica por vaidade, entre muitas outras coisas. Porém, tudo o que Nathalia pôde fazer em sua vida não deveria ser a exceção. Mas, sim, o leque normal de oportunidades oferecido a qualquer pessoa, com ou sem deficiência.